O que a grande maioria das pessoas desconhece é que ferramentas como Skype e WhatsApp não são indicadas e seguras para fins de atendimento de saúde. Para garantir o sigilo e a privacidade de psicólogos e pacientes não basta ter um bom antivírus. É preciso assegurar que nenhuma informação da consulta fique gravada ou registrada em dispositivo ou nuvem. O que não ocorre, por exemplo, com mensagens trocadas via WhatsApp, onde as informações normalmente ficam armazenadas nos dispositivos ou em backups. O que ocorre com o sigilo do atendimento caso um celular ou notebook sejam roubados ou invadidos por hackers?

No Brasil ainda pouco se fala sobre segurança de dados e sigilo relacionado a informações confidenciais de saúde. Países como Estados Unidos possuem protocolos rigorosos com relação à segurança e exigem que empresas e profissionais de saúde estejam em conformidade com normas como HIPAA e HITECH Act.

Excelente para reuniões, entrevistas e ligações entre familiares, o Skype possui benefícios, como familiaridade, experiência positiva, acesso fácil e simples, além de ser uma ferramenta gratuita. Porém, para uma consulta psicológica pode apresentar problemas de confidencialidade e privacidade, chamadas perdidas, potencial de interrupção da comunicação e falta conformidade com protocolos internacionais como HIPAA.

No caso do WhatsApp, se ele estiver instalado em um smartphone, qualquer pessoa com acesso a esse smartphone poderá visualizar as mensagens na conta do WhatsApp do usuário, sem a necessidade de inserir nomes de usuário, login ou senhas. Isso significa que qualquer informação sigilosa da consulta incluída em conversas salvas fica acessível. Para serem minimamente viáveis, seria necessário garantir que todas as mensagens contendo informações sigilosas do paciente fossem permanentemente apagadas pelas duas pontas.

Além disso, algumas empresas que fornecem serviços de mensagens, como o Whatsapp, têm acesso à chave para descriptografar dados enviados em mensagens criptografadas e podem vir a cumprir as solicitações da lei e divulgando informações se receberem uma intimação, ordem judicial ou mandado de busca.

Portanto, se você está pensando em fazer terapia online ou ainda, se psicólogo e atende pacientes online, pesquise no mercado por plataformas que tenham sido desenvolvidas exclusivamente para atendimentos de saúde. Procure saber quais empresas atendem protocolos internacionais de segurança como o HIPAA (Health Insurance Portability and Accountability Act) e realizem suas consultas com sigilo e segurança.

Encontrou a sua resposta?