Neste artigo vamos apresentar algumas dicas de como manter o relacionamento com o paciente aqui na plataforma. No atendimento online, o psicólogo precisa empenhar um pouco mais de esforço para criar o vínculo com o paciente, por isso cuidados e interações, podem fazer muito diferença :)

As dicas elencadas abaixo foram definidas de acordo com a experiência dos psicólogos cadastrados na Vittude com maior número de pacientes engajados no decorrer do tempo. 

  1. Mantenha sua agenda de consultas sempre atualizada e fique atento em todas as movimentações na mesma. Com isso você consegue evitar que o paciente agende em um horário que você não consiga atendê-lo e causa frustração no mesmo. A sincronização com o Google Calendar pode ser bastante te ajudar com isso! Dá uma olhada nesse artigo aqui!
  2. Contate o paciente ao receber agendamento da primeira consulta. Você não precisa esperar o momento da sessão para abrir um canal de comunicação com o paciente. Enviar uma mensagem de boas-vindas e colocar-se à disposição ajuda a estreitar o relacionamento inicial e gera um sentimento de confiança e amparo para o paciente que está começando o processo de psicoterapia. 
  3. Informe sua disponibilidade de acesso ao consultório. O email de acesso ao consultório virtual é enviado 15 minutos antes do início da sessão e você pode informar ao paciente se já está conectado ou se irá entrar em breve. Assim ele não fica perdido ao entrar e não ver você na sala.  É importante também ficar atento ao horário e se perceber que poderá haver algum atraso, avisar o paciente com alguns minutos de antecedência, assim garantimos a confiabilidade em nosso trabalho e o respeito pelo paciente.
  4. Aproveite a primeira consulta para identificar a motivação do paciente pelo atendimento online. Você pode utilizar os primeiros 5 minutos da sessão para entender melhor a demanda do paciente e porque ele optou pelo atendimento online. Neste momento, você pode informar sobre a segurança do consultório virtual, a importância de estabelecer a confiança mútua entre paciente e psicólogo, como funciona a dinâmica das consultas dentro da sua abordagem e avise caso precise fazer anotações durante a sessão. 
  5. Mantenha controle dos pacientes e consultas. É importante que você faça o controle sobre todos as informações do seu consultório na plataforma, como por exemplo, dados dos pacientes, consultas realizadas, resgates de valores e valores a serem liberados. 
  6. Mantenha contato periódico com pacientes inativos. Alguns pacientes interrompem o tratamento por dificuldades financeiras ou por se sentirem bem após algumas sessões. Se possível, entre em contato com os pacientes que deixaram de agendar consultas, para saber como estão e se precisam de algo. É uma maneira de mostrar sua atenção e ao mesmo tempo, fidelizar os mesmos.
  7. Esteja preparado para lidar com situações imprevistas: Imprevistos acontecem tanto para o psicólogo quanto para o paciente. Pode ocorrer queda de energia elétrica, problemas de conexão com a internet, equipamento com bateria fraca, entre outros. Nestes momentos, procure manter controle da situação e, em conjunto, busque uma alternativa para que o atendimento não seja comprometido naquele momento. Entre em contato com o nosso suporte para procurar ajuda!  O   paciente   precisa   confiar   que,   mesmo   diante   do   imprevisto, estamos ali para ajudá-lo.
  8. Revise o seu perfil e esteja sempre aberto para falar sobre atendimento online ou outros assuntos de psicologia: Publicar um vídeo de apresentação, por exemplo, tem ajudado muitos pacientes a criar uma empatia inicial com o psicólogo nesse ambiente digital. Através dele é possível ouvir o tom de voz, notar um sorriso e até sentir-se de certa forma acolhido. Sempre que tiver oportunidade divulgue o trabalho de atendimento online, pois ainda há pessoas que não conhecem essa modalidade. Compartilhe seu perfil na plataforma e informações que achar pertinentes, contribuindo assim para propagar o propósito de levarmos acesso de saúde mental e bem-estar para pessoas de todo o Brasil e do mundo.

Este  material foi  produzido  pela  psicóloga  Mariza Menegasso Lencioni  e  adaptado  para divulgação pela Vittude.

Encontrou sua resposta?